menu

Saiba tudo sobre a relação do fumo e a calvície

30/05/2018 - Por: Redação JakBell

Todo mundo hoje em dia tem a consciência de que o cigarro é um dos maiores males da sociedade como um todo. Se no passado ele era associado a um status de “glamour” e estilo de vida, desde o final da década de 90, a abordagem tem sido outra, principalmente, na publicidade e nos meios de comunicação.

Poderíamos passar uma vida inteira aqui enumerando os malefícios do tabaco para a saúde de qualquer indivíduo, tanto para quem é usuário, quanto para os chamados ‘fumantes passivos’. Mas podemos dizer que, após a saúde, a estética é certamente a mais prejudicada quando falamos sobre o assunto. E, no Dia Mundial da Luta Contra o Tabaco, nada melhor do que nos conscientizarmos ainda mais sobre o tema.

Quando falamos sobre a perda da estética originária do fumo, muitas partes do nosso corpo sofrem com ela, podemos incluir os dentes, que se tornam feios e debilitados, a pele, que acaba se tornando cada vez mais ressecada, rugas e marcas de expressão começam a nascer, manchas na pele também aparecem e, claro, os cabelos também começam a cair.

De acordo com uma publicação do Ministério da Saúde sobre os malefícios do tabaco, o cigarro aparece como um dos principais culpados pela perda dos fios capilares. A partir de um dano na microcirculação sanguínea, o fumo chega a originar uma certa diminuição no aporte de nutrientes e oxigênio que são de suma importância para as células, e isso acaba prejudicando a estética dos cabelos, que ficam com muito menos viço, além de se tornarem ressecados, difíceis de serem tratados, ocasionando a queda posteriormente.

A partir de relatos de especialistas, o período de um ano já é o suficiente para que o dano capilar seja causado. Daí já começam as alterações na cor do fio e textura do cabelo, que são os primeiros sinais dos malefícios da nicotina.

Os efeitos do tabaco no homem

De acordo com uma publicação de 2007 da revista Archives of Dermatology, houve um estudo realizado entre homens de origem asiática, que revelou que o tabaco chegou a influenciar tanto na irrigação sanguínea, como também o próprio DNA do couro cabeludo do indivíduo. A pesquisa ainda revelou que homens que possuem o hábito de fumar pelo menos 20 cigarros ao dia ficam ainda mais expostos ao risco de sofrerem de alopecia androgenética, com variações de moderada a grave. A calvície segue gradativa até que o encurtamento dos fios chegue ao extremo de só restar cabelo na área da nuca (traseira) e lateral da cabeça.

Exemplo de alopecia androgenética no homem.

Perda de cabelo na parte frontal e topo da cabeça.

Calvície nas mulheres

Nas mulheres, os efeitos da nicotina seguem praticamente o mesmo caminho em relação à perda de cabelo. Ela faz a redução do diâmetro dos vasos periféricos, acarretando na diminuição da circulação do sangue, impossibilitando que vitaminas, minerais e proteínas cheguem à raíz do cabelo.

No entanto, a calvície na mulher costuma aparecer de maneira mais difusa, um padrão feminino para a alopecia androgenética. A partir de então, surge uma aparência de raleamento dos fios ainda mais visível na parte alta da cabeça, principalmente nas áreas repartidas do cabelo, que vai se alastrando e fazendo com que o couro cabeludo fique cada vez mais aparente.

Exemplo de alopecia na mulher

Como reverter o caso?

O primeiro passo para tentar melhorar o aspecto do seu cabelo e diminuir os efeitos da nicotina no corpo é certamente parar de fumar. Em relação a isso, existe uma campanha nacional do INCA em pró do controle do tabagismo, que fornece ótimas informações sobre como deixar o hábito. Além disso, é sempre bom acompanhar o quadro com um médico especialista.

A tricologia pode ajudar o seu cabelo

Sabemos que a alopecia androgenética é determinada pelo perfil genético do indivíduo, e isso inclui também todo o histórico familiar. Mesmo se o avanço da sua calvície for devido ao abuso do cigarro ou relacionada a outros fatores, existem tratamentos que podem atrasar, minimizar ou até acabar com o avanço da sua queda de cabelo.

A tricologia, que é o ramo da medicina destinado a tratar dos pelos ou cabelos da pessoas, oferece diversos tipos de tratamentos alternativos e preventivos para ajudar a melhorar e contornar os problemas capilares como um todo.

Um tricologista irá lhe auxiliar a entender a origem da calvície masculina ou feminina, a partir de um diagnóstico preciso e completo. Ele irá ajudar a identificar outras causas para sua queda de cabelo e alopecias no seu couro cabeludo. Ainda com a ajuda do profissional, se torna possível realizar também terapias capilares, com métodos a laser, microagulhamento, eletroterapia, massagem craniana, entre outros tratamentos, que irão contribuir para a melhora da sua saúde e autoestima.

É importante também salientar que o tratamento precisa ser realizado do início ao fim, sem interrompimentos, pois uma brecha no meio do processo pode fazer retornar o seu problema e o cabelo voltar a cair. Por isso, obedeça todas as orientações do seu tricologista à risca e tente ao máximo não abandonar as sessões.

Tratamento em andamento e boas notícias!

Você decidiu parar de fumar e realizar o tratamento para diminuir e reverter a queda de cabelo, que ótimo! São dois passos fundamentais para a melhora da sua saúde e estética. Em relação a isso, ainda de acordo com dados do Ministério da Saúde, após parar de fumar o indivíduo consegue notar logo as diferenças positivas no corpo. Mais ou menos em três ou quatro semanas, já é possível ver uma melhora na saúde dos fios, além de outros benefícios:

  • Normalmente após 20 minutos, a pressão sanguínea e a pulsação voltam à normalidade;
  • Após 2 horas não existe mais nicotina em circulação do sangue;
  • Entre 12 e 24 horas os pulmões já começam a funcionar melhor;
  • Após 2 dias já é possível notar uma melhora no olfato;
  • Depois de 3 semana a respiração e a circulação se tornam mais fáceis;

 

Então, tenha persistência e vá adquirindo cada vez mais hábitos saudáveis. Temos a absoluta certeza de que seu corpo irá agradecer e o seu cabelo principalmente!