menu

7 causas da queda de cabelo na infância

16/10/2018 - Por: Redação JakBell

A queda capilar não é exatamente um problema que afeta apenas a população jovem ou adulta. Muitas crianças também podem sofrer deste mal. Cerca de 3% a 8% das consultas pediátricas são para tratar da queda de cabelo na infância, que podem ter sua origem devido a diversos fatores.

No entanto, vale lembrar também que existem certos tipos de causas que de fato precisam de uma atenção mais redobrada de um médico especialista, já outras podem se resolver com o tempo. Um exemplo disso, é a perda de cabelo em recém nascidos durante os primeiros meses de vida. Com os dias, o cabelo que cai é substituído por um fio permanente. Mas cada caso precisa ser avaliado de perto.

A criança que possui queda capilar precisa ter o histórico verificado. É importante que os pais observem se recentemente houve algum caso de infecção, alergia a algum medicamento, mudança de hábito, principalmente o alimentar.

Após esta análise, o pai ou a mãe que identificar um comportamento de queda de cabelo recorrente na criança, o diagnóstico deverá ser feito juntamente com um profissional capacitado, através de exames próprios para o couro cabeludo. E, após isso, o início do tratamento mais adequado para resolver o problema.

Conheça agora algumas das principais causas da queda de cabelo em crianças:

Tinea capitis

A tinea é identificada como uma infecção de origem fúngica. Sua ação pode ocorrer de maneira mais superficial, ocasionando manchas de textura escamosa e a perda capilar nos pequenos. Também costumam aparecer certos pontos arredondados em determinadas áreas da cabeça, com o fio se tornando quebradiço na superfície do couro cabeludo.

Couro cabeludo com Tinea capitis (foto: reprodução Instagram)

De acordo com pediatras e tricologistas, as alternativas de tratamento podem passar por antifúngicos orais, shampoos especiais para a contenção do fungo e também evitar o compartilhamento de objetos que estejam em contato direto com a cabeça da criança, pois é algo contagioso.

Alopecia areata

A alopecia areata é uma condição muito comum em homens e mulheres adultos, mas que também afeta crianças. Ela é caracterizada por uma disfunção do sistema imunológico, que ataca diretamente os folículos pilosos, que pode ter origem genética ou não. Ela ainda não possui cura permanente, mas os tratamentos capilares mostraram-se bastante eficazes em diversos casos.

Alopecia areata: entenda suas causas, sintomas e tratamentos

Mesmo na criança, após o diagnóstico, o tratamento tem que ser feito de imediato, pois caso o contrário, a doença pode avançar ocasionando uma alopecia universalis, que seria a perda total do cabelo e de outras áreas do corpo que estiverem sendo afetadas.

Tricotilomania

A tricotilomania é conhecida popularmente como a alteração/impulso que faz as pessoas arrancarem os seus próprios cabelos. E este tipo de comportamento na criança é ainda mais intenso, pois os fios ainda estão se formando, dependendo da idade.

Tricotilomania: Causas, sintomas e tratamento

Em casos assim, é sempre bom conversar com o pediatra e entender a melhor maneira de reverter este quadro, que normalmente se baseia em identificar o agente desencadeante, que pode ser, inclusive, o meio em que a criança vive, levando-a a um alto nível de estresse. Por isso, é sempre bom ficar atento(a).

Eflúvio telógeno

O eflúvio telógeno é conhecido como um queda de cabelo com grande intensidade. Dentre as causas mais possíveis estão o estresse, o uso de certos medicamentos, uma dieta alimentar irregular, traumas, disfunções na tireoide, entre outros. Geralmente o processo de queda do cabelo inicia-se de dois a quatro meses após o efeito desencadeante.

Por isso é importante que os pais estejam sempre atentos ao comportamento de seus filhos. Qualquer ação mais irregular, é preciso contactar o pediatra para a realização dos exames pertinentes.

Problemas nutricionais

Uma alimentação irregular também pode ser o fator desencadeante da queda de cabelo em uma criança. Devido a falta de vitaminas como a B, H, biotina e outras que ajudam a metabolizar os carboidratos, ou até mesmo o zinco que trabalha no metabolismo celular, a criança pode começar a apresentar sintomas da queda de cabelo.

15 alimentos que fortalecem e ajudam o cabelo

Algumas alergias também podem levar à queda de cabelo na infância, como alergia uma a alimentos que contenham glúten, lactose ou trigo. No entanto, a queda capilar não costuma ser o principal sintoma de problemas como este, mas pode estar associada. .

Desequilíbrios endócrinos

A perda de cabelo na infância pode ter origem na tireoide e os pais precisam estar atentos a todo momento. Algumas crianças podem apresentar o hipotireoidismo, uma alteração que faz com que a glândula produza uma quantidade ineficiente de hormônios que regulam o metabolismo. Para evitar casos assim, a consulta com o pediatra deve ser periódica e constante.

Dermatite seborreica

Assim como age nos adultos, a dermatite seborreica também ataca crianças. Ela apresenta normalmente uma descamação bastante aparente, que gera grande coceira, e que se não tratada, pode avançar e original uma queda capilar. Em casos mais leves, o tratamento pode ser feito em poucos meses, já os mais graves precisam de um acompanhamento de um tricologista ou dermatologista capacitado.

Como evitar a queda de cabelo infantil

Além das consultas recorrentes ao pediatra, para evitar que seu filho apresente problemas de queda de cabelo é importante jamais pentear as madeixas cacheadas a seco, pois pode propiciar que os fios se partam e caiam; também é válido utilizar sempre os produtos adequados para cada tipo de cabelo, sempre ficando atento à quantidade de química em cada produto; evitar que a criança durma com o cabelo molhado; realizar a lavagem do cabelo da criança em dias alternados (sim e não).

Fazendo isso, você certamente estará contribuindo para o bem estar capilar do seu baixinho ou baixinha. E para maiores dúvidas, consulte algum de nossos profissionais tricologistas na JakBell. Telefones (21) 2255-1084 / 2255-2529 / 99876-3086 (WhatsApp), ou se preferir, chame pelas nossas redes sociais (FacebookInstagram) ou pelo nosso site.