menu

Saiba como combater a queda de cabelo no pós-parto

17/07/2018 - Por: Redação JakBell

A queda capilar no pós-parto é um problema bastante recorrente, e que tem afetado a vida de muitas mulheres no mundo inteiro. Na verdade, trata-se de um eflúvio telógeno, uma alteração que normalmente costuma ser resolvida de maneira espontânea na maioria dos casos. No entanto, existe um número grande de mães que possuem uma certa dificuldade de lidar com o desconforto da maternidade recente, devido à questões da nova rotina de cuidados com o filho, além da recuperação natural do corpo e outras questões hormonais.

É um processo que nem sempre consegue ser fácil. Além disso, podemos dizer que não há nada de errado nisso, afinal, nem todo mundo consegue lidar da mesma maneira com todos os problemas. Todavia, é preciso recorrer a ajuda quando a situação sai fora do controle. Por isso, neste caso, no momento em que a queda de cabelo começa a aumentar ainda mais a ansiedade, e o nível de estresse sobe, mexendo automaticamente com a parte física e psíquica do corpo, o cabelo começa a cair com mais frequência. Então, é importante prestar a atenção.

Os benefícios da prótese capilar para quem sofre de alopecia [ENTREVISTA]

O que é eflúvio telógeno?

O eflúvio telógeno ou telogênico pode aparecer devido a diversos fatores. Os principais são o abuso de medicamentos, estresse, uma dieta alimentar desequilibrada, problemas na tireóide, traumas emocionais e físicos, dentre outras possibilidades. Normalmente o processo da queda capilar começa a partir de 2 a 4 meses após a ação desencadeante. Depois disso, o cabelo começa a cair cada vez com mais frequência, principalmente durante o banho ou ao escovar os fios.

O eflúvio telógeno pode ser compreendido a partir de dois tipos, com uma ação crônica ou aguda em cada pessoa. Vejamos:

Eflúvio telógeno agudo

Os efeitos dessa alteração estão associados a algum tipo de evento que possa ter ocorrido pelo menos 3 meses antes da queda se iniciar. Em situações assim, o percentual do fios que caem acaba se tornando cada vez maior, passando de 100 a 120 fios para os 200-500 que caem diariamente. Dentre os eventos desencadeantes mais comuns estão: o estresse, infecções agudas, sinusite, dietas restritivas, pneumonia, doenças metabólicas ou infecciosas, cirurgias e o pós-parto.

Vale considerar que alguns medicamentos também podem ser a causa do problema. Normalmente 70% dos casos possuem uma causa descoberta, os outros 30% costumam não ter uma definição específica.

Eflúvio telógeno crônico

A ação crônica do eflúvio é aquela que possui um longo prazo, com ciclos que vão aumentando de maneira cíclica, que podem vir uma ou duas vezes ao ano, ou a cada 2 anos, a depender de cada pessoa. Ao longo do tempo, o indivíduo poderá ter um volume maior no cabelo na base e um comprimento menor. O cabelo acaba ficando mais curto e consequentemente mais fino.

Um paciente que possua unicamente esta condição, não costuma ser afetado com um “rabo de cavalo” mais fino, por exemplo, apenas se o quadro estiver associado a outros tipos de causas que possam desenfrear a rarefação dos fios capilares. Em situações assim, a causa nem sempre é definida, mas costuma estar associada à doenças autoimunes, como a tireoidite de Hashimoto, a mais comum.

Queda de cabelo na quimioterapia. Como lidar?

Sintomas do eflúvio

Se você começar a sentir uma certa queda aguda dos fios em um curto espaço de tempo, uma queda que ocorra diariamente, acompanhada de uma coceira no couro cabeludo, especialmente na parte posterior da cabeça, é bom procurar um dermatologista ou tricologista para averiguar a reais causas do problema.

A tricologia pode ajudar

O eflúvio telógeno, como já comentamos anteriormente, normalmente possui um período de duração pré-determinado, que seria mais ou menos de 2 a 4 quatro meses. Isso é, se não existir qualquer outra doença/alteração associada. No entanto, se isso acontecer, e a pessoa tiver algo como alopecia androgenética, por exemplo, um tratamento precisará ser feito para que a queda seja controlada imediatamente.

Tratamentos Tricomed

Na Jakbell, a partir dos tratamentos da Tricomed, conseguimos controlar e ter uma recuperação mais rápida, oferecendo tranquilidade e conforto para a pessoa. O tricologista irá descobrir se existe algum fator associado à queda, seja na dieta alimentar, falta de vitaminas, problemas hormonais e alterações em geral. Por isso, é importante realizar um diagnóstico preciso o quanto antes para entender melhor o seu problema capilar.

Pós-parto e alimentação equilibrada andam juntos!

Não existe uma maneira rápida para acabar com a queda de cabelo no pós-parto, mas algumas medidas podem ser tomadas para que ela não se torne tão agressiva, até que a alteração consiga ser completamente controlada. Uma excelente dica para poder minimizar esses distúrbios é o consumo de alimentos que contenham os nutrientes, minerais e vitaminas necessários (Vitamina C, Zinco, Biotina e Ácido Pantotênico) para ajudar a manter os cabelos com uma aparência mais vívida e muito mais fortes. Aposte em alimentos como banana, castanha do Pará, iogurte natural, cenoura e laranja. São ótimos para ajudar a fortalecer os fios.

Tenha uma alimentação nutritiva

Epigenética: um auxílio na melhora do organismo e no combate à queda capilar

No entanto, por uma questão de cuidados, por mais que eles sejam verdadeiramente ricos em certas vitaminas, que são ótimas para o cabelo, existem inúmeras variáveis para poder indicar os alimentos mais adequados para a saúde capilar de cada indivíduo. Até poderíamos pontuar aqui uma lista com uma alimentação balanceada que sirva para a manutenção do cabelo, porém isso deve ser pautado a partir de uma consulta com um nutricionista. Na Tricomed, existe um exame chamado de Epigenética, que é qualificado para que o cabelo receba tal avaliação e, a partir disso, são indicados os métodos e tratamentos necessários para a renovação capilar.

Faça uso dos produtos certos

Outra ótima dica é tomar cuidado com os produtos utilizados para lavar o cabelo. Utilize shampoos e cremes que não tenham tanta química em sua composição. Existem alguns produtos apropriados para tal que o tricologista poderá receitar. Também evite lavar os cabelos todos os dias, principalmente se você fizer uso de água quente, pois isso poderá aumentar ainda mais a queda capilar.

Tinturas no cabelo? Nem pensar! Esses e outros produtos químicos devem ficar de fora, pois além de favorecerem ainda mais a queda do cabelo, prejudicam a amamentação. E para controlar os pequenos fios que aparecem na parte da frente da cabeça, prefira a hidratação capilar com o uso de óleos reparadores. E se você tem o hábito de escovar os cabelos várias vezes ao dia, faça a redução do mesmo e tente não provocar o couro cabeludo durante esse período.

Faça uma avaliação

Se você ainda ficou com alguma dúvida, entre em contato com a Jakbell e faça uma avaliação do seu quadro capilar. A tricologista irá avaliar completamente a causa da sua queda e lhe orientar para o melhor tipo de tratamento. Telefones (21) 2255-1084 / 2255-2529 / 99876-3086 (WhatsApp), ou se preferir, faça contato pelas nossas redes sociais (Facebook / Instagram) ou pelo nosso site. Av. Nª Srª de Copacabana, 731 SL Copacabana, Rio de Janeiro – RJ.